eSports: o que são, como surgiram e principais games

eSports: como surgiram as competições de jogos eletrônicos?

Com premiações maiores do que campeonatos de futebol, os eSports têm surgido como fonte de renda para muitos jogadores.

Anúncios

eSports
Fonte: Freepik

Passou o tempo em que os games eram vistos somente como uma forma de se divertir, hoje, há muitas pessoas que fazem dos jogos a sua profissão. Não é de se surpreender que os campeonatos de eSports estão cada vez maiores, reunindo uma legião de fãs de diferentes países.

E claro, nem só de diversão vivem os campeões. Por isso, os torneios em volta dos eSports geram uma bolada de dinheiro para aqueles que saem deles vitoriosos.

Contudo, não se engane, os eSports não são algo recente, afinal, os torneios já existiam desde a existência dos primeiros consoles. Vejamos a seguir!

eSports: o que são e como surgiram?

Esports é o termo utilizado para se referir aos campeonatos de games eletrônicos. É importante entender que todo eSports é um game, mas nem todo game é um eSports. Isso porque, assim como os esportes, um game para ser um eSports precisa apresentar competição entre pessoas.

Além disso, as partidas disputadas precisam ser jogadas simultaneamente pelos competidores, seja online ou com os atletas ocupando o mesmo espaço, o que é muito comum nos torneios.

Anúncios

A primeira competição de um game, que temos notícia, data de 1972, ano em que a Universidade de Stanford organizou a competição Spacewar. Mas, diferente do prêmio em dinheiro que interessa aos competidores de hoje, os vitoriosos da época ganharam 1 ano da assinatura da revista Rolling Stone.

Já em 1980 a Atari promoveu um torneio Space Invaders, reunindo cerca de 10.000 jogadores, e a vitoriosa Rebecca Heineman levou para casa um arcade. Mas, a revolução dos eSports só chegou quando a Nintendo organizou um campeonato memorável, o Nintendo World Championships, em que os participantes jogaram tetris e Mário Bros.

Daqui se seguiu a profissionalização de jogadores de games, os famosos pro playes. Dennis “Thresh” Fong, por exemplo, levou para casa uma Ferrari após ganhar um campeonato de Quake em 1997.

Nesta mesma época, surgiu o campeonato da EVO, antes chamado de Battle By the Bay. O campeonato era extremamente famoso devido ao Street Fighter 2 e, com o passar dos anos, ficou mundialmente conhecido como um dos maiores campeonatos de eSports. Tekken e Mortal Kombat fazem parte do catálogo do campeonato.

Da Coreia para o Mundo

No início dos anos 2000, o mercado começou a ganhar mais força na região da Ásia, sobretudo na Coréia do Sul. Isso devido ao maior acesso da banda larga, mas também pelos elevados níveis de desemprego, que fizeram com que os coreanos buscassem outras formas de subsistência.

Uma das formas foi virando pro players. Aliás, tais jogadores foram incentivados com a criação da Kespa, uma Associação Coreana de Esportes Eletrônicos com o objetivo de promover os eSports.

Aos poucos, os jogadores se tornaram subcelebridades, sendo assistidos por milhares de pessoas pelo canal OGN. No Brasil, o crescimento dos esports se deu de maneira gradativa, começando nas antigas lan houses, em que os campeonatos de CS dominavam os espaços.

Embora a baixa estrutura, os pro playes brasileiros se organizaram e conseguiram o título mundial de Counter Strike na MBR. A partir daí o mercado interno foi incentivado pela CPL e WCG.

Campeonatos lotados e prêmios milionários

eSports
Fonte: Dota 2 // Steam

No exterior, as próprias desenvolvedoras de games passaram a organizar os seus próprios campeonatos. Em 2011, a Valve anunciou um torneio de Dota 2, arcando com mais de US$ 1 milhão para o time vencedor.

E assim desenvolvedoras do mundo inteiro começaram a organizar os seus torneios com premiações milionárias. Dessa maneira, o público dos esports vem crescendo exponencialmente e estima-se uma movimentação de R$ 6,5 bilhões este ano.

Para termos uma noção da proporção dos eSports, o campeonato de Dota 2 de 2017 pagou uma premiação maior do que a da Libertadores, cerca de R$ 31,2 milhões foram desembolsados para o pagamento do vencedor.

Esse sucesso milionário das competições foi fundamental para o surgimento do gênero free to play, como o que podemos ver em Fortinet e LoL. Aliás, existem competições tão emblemáticas, como a final do Rainbow Six Pro League de 2018 que lotou o Parque Olímpico do Rio de Janeiro com 24 mil pessoas.

As dimensões desses campeonatos são enormes que até clubes do futebol e celebridades importantes estão investindo em peso nos eSports. O rapper Drake passou a ser sócio da 100Thieves e Ronaldo Fenômeno já foi sócio da CNB.

Curtiu este post? Então manda pra turma que também ama o mundo dos eSports e já aproveite para chamar os amigos para uma partida de LOL ou Dota 2, você quem manda.

Gabriel Mello

Mestre em Filosofia e doutorando em Letras. Especialista em SEO, atua há 3 anos com planejamento, produção e revisão textual, garantindo a entrega de um conteúdo relevante e de impacto para e-commerce e e-business.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo